terça-feira, janeiro 28, 2014


Menino de 4 anos com QI de Einstein já leu mais de 600 livros

0

Menino de 4 anos com QI de Einstein começou a falar aos dez meses e já leu mais de 600 livros. Sherwyn Sarabi entrou para o 'clube dos superdotados'

menino 4 anos sueprdotado qi einstein
Menino de 4 anos com QI de Einstein entra para ‘clube dos superdotados’ (Foto: Daily Mail)
Um menino de 4 anos está sendo apontado como um futuro Einstein depois de alcançar 160 pontos no teste de inteligência QI (a mesma pontuação de Albert Einstein e Stephen Hawking) e mostrar ser capaz de contar até 200, ler mais de 600 livros em seis meses, resolver operações matemáticas e citar todos os países do mundo. Sherwyn Sarabi foi a primeira criança a ganhar uma bolsa de estudos de 100% para uma escola de elite do Reino Unido e frequenta uma classe de crianças com o dobro de sua idade.
Aos três anos ele se tornou membro da Mensa, a famosa sociedade que reúne pessoas com altos quocientes de inteligência do mundo. Sherwyn começou a falar aos dez meses, e segundo os médicos tem idade mental de oito anos e nove meses, mais que o dobro da idade biológica.
“Ele tem um nível muito superior de inteligência, é muito talentoso e seu vocabulário é muito vasto para esta idade”, afirma o psicólogo Peter Congdon em entrevista ao jornal Daily Mail. “Seu intelecto reage aos mais alto niveis de racionalidade e quando ele fala mostra habilidades de uma criança muito mais velhs. É muito raro ter uma criança com esse tipo de inteligência.
O menino mora em South Yorkshire, Inglaterra, e enquanto a maioria das crianças de sua idade ainda não foi para a escola, ele já frequenta as aulas para alunos de nove anos na Rastrick Independent School, em Huddersfield.
A mãe de Sherwyn, Amanda Sarabi, foi professora e diz que o filho “é uma criança saudável muito feliz e adora falar”.
“Ele questiona tudo e eu tenho feito o meu melhor para responder às suas perguntas para o melhor de meu conhecimento.”

Tucanos assumem cargos no Governo de Eduardo Campos

0

Eduardo Campos entregou a pasta da Secretaria de Trabalho e a presidência do Detran para o PSDB. Aliança entre PSB e tucanos está oficialmente consolidada

eduardo campos psdb psb
Seis novos secretários tomaram posse no governo de Pernambuco na manhã desta sexta-feira 3. A cerimônia foi realizada no salão de eventos da sede provisória do Governo do Estado, no Centro de Convenções de Pernambuco.
Com a reforma, o PSDB do senador Aécio Neves (MG) passa a ser aliado oficial do PSB de Eduardo Campos, pré-candidato à presidência da República. Campos oficializou a aliança nesta quinta-feira, depois de muitas conversas com o deputado federal Sérgio Guerra (PE), presidente do diretório tucano no estado.
As mudanças atendem à reforma administrativa encaminhada pelo Executivo à Assembleia Legislativa de Pernambuco no ano passado e foi debatida entre Campos e seu vice, João Lyra (PSB), que assumirá o governo a partir de abril, quando o governador deixa o cargo para concorrer às eleições, em outubro próximo.
“Cada um vai interpretar da forma que desejar interpretar. A interpretação é livre. A relação nossa com o PSDB de Pernambuco é uma relação que vem de muito tempo”, afirmou Eduardo Campos.
PE 247

Guru' indiano que trabalhou para José Serra em 2010 é preso nos EUA

0

Guru' indiano que trabalhou para José Serra em 2010 é preso nos EUA

guru indiano serra 2010
Guru indiano que trabalhou para Serra em 2010 é preso nos EUA
O marqueteiro americano de ascendência indiana Ravi Singh, que se autodenomina “guru” e trabalhou na campanha de José Serra (PSDB) à Presidência da República em 2010, foi preso na sexta-feira (17) em San Diego, no Estado da Califórnia, suspeito de intermediar a injeção de ao menos US$ 500 mil não contabilizados em campanhas políticas daquela cidade.
Singh, 41, fundador da empresa Election Mall, teria ajudado um empresário mexicano a doar centenas de milhares de dólares a candidatos em San Diego por meio de caixa 2. Segundo o FBI (a polícia federal americana), Sigh e um ex-policial, Ernesto Encinas, 57, teriam utilizado empresas de fachada e documentos em nome de laranjas para fazer o dinheiro chegar às campanhas de quatro políticos. O FBI não divulgou o nome dos beneficiados pelo suposto esquema.
San Diego fica a cerca de 20 quilômetros do muro de Tijuana, na fronteira com o México, o que explica o interesse de empresários mexicanos em contribuir para políticos locais, mas a legislação dos Estados Unidos veta doações de estrangeiros às campanhas. A prisão de Singh e Encinas foi revelada pelo jornal “San Diego Union-Tribune”.

Turbante

Quando atuou na campanha de Serra, Singh assumiu a coordenação de internet, cujo site era editado pela ex-vereadora de São Paulo Soninha Francine (PPS).
No currículo do norte-americano, que se reunia com os tucanos usando turbante, estava a campanha vitoriosa do colombiano Juan Manuel Santos, eleito presidente quatro meses antes.
Singh fez mudanças radicais no site de Serra que priorizavam o cadastramento dos internautas e adotou um novo slogan, “É a Hora da Virada”, em vez do oficial “O Brasil Pode Mais”. O norte-americano comprou briga com outros membros da equipe e acabou saindo 20 dias depois, sem ter o contrato renovado.
Nenhum tucano assumiu oficialmente a ideia de ter contratado Singh. Nos bastidores, duas versões circularam: a de que teria sido apresentado pela filha de Serra, Verônica, ou por Arnon de Mello, filho do ex-presidente Fernando Collor e então sócio de uma empresa que fornecia serviços de internet. Arnon nega e atribui a indicação ao comando da campanha de Serra.

Coordenação

Soninha disse ter ficado “sentida” com a notícia da prisão de Sigh e elogiou o trabalho do norte-americano. Segundo ela, a internet não era a “menina dos olhos” do marqueteiro Luiz Gonzalez, que coordenava a campanha de Serra, e ganhou profissionalismo com a chegada de Sigh.
“Antes dele o pessoal da internet não tinha coordenação: quem fazia o Facebook não conversava com quem fazia o Twitter nem com quem estava no site. Ele fez todo mundo trabalhar junto”, afirmou.
Ela defendeu a medida mais polêmica de Sigh em sua breve passagem pelo Brasil: obrigar os leitores do site oficial de Serra a preencher um formulário com nome, e-mail e preferências pessoais. “A adesão das pessoas foi inacreditável. Campanha eleitoral na internet é um espaço para engajamento, não para visita eventual. Milhares de eleitores se cadastraram dispostos a participar”, disse.
Soninha afirmou não se lembrar de quem apresentou Sigh ao tucano, mas diz acreditar que ele deixou a campanha pois “cobrava caro” e os coordenadores julgaram que já haviam aprendido o que ele pretendia fazer.
UOL

Delegado muda de sexo e pode assumir a Delegacia da Mulher

0

Após mudar sexo, delegada pode assumir cargo na Delegacia da Mulher. Antes da operação, Laura de Castro, 33 anos, atuou no cargo de delegado em municípios próximos a Goiânia, Trindade e Senador Canedo

delegado muda sexo goiânia
Delegada postou foto no Facebook em 13 de dezembro. Antes da operação, Laura de Castro, 33 anos, atuou no cargo de delegado em municípios próximos a Goiânia (Reprodução)
A Polícia Civil de Goiás confirmou nesta quinta-feira que a delegada Laura de Castro Teixeira, que passou recentemente por uma cirurgia de mudança de sexo, mostrou interesse de atuar na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), em Goiânia, após retornar de licença médica. Segundo o delegado adjunto Daniel Felipe Adorni, da Diretoria da Polícia Civil de Goiás após remanejamento de pessoal, há vagas no plantão da delegacia da Mulher. A delegada, que conseguiu na Justiça mudar seu nome de Thiago para Laura, pediu a licença há poucos meses, para se submeter ao procedimento. A Polícia Civil, porém não informou a data exata da operação.
O delegado desmentiu, porém, que Laura seria efetivada como delegada titular, como chegou a ser divulgado na imprensa. “Essa informação é errônea, a nossa titular é a delegada Ana Elisa (Gomes), uma servidora excepcional, e que também quer contar com a doutora Laura na sua equipe”, disse. “Estamos oferecendo vagas a vários servidores, dentre eles a doutora Laura. Ela manifestou interesse de ir para o plantão e assim que ela tiver condições – ela está resolvendo problemas burocráticos – nós poderemos contar com esta servidora na Deam”, disse.
Segundo o delegado, as mudanças de sexo e de nome da delegada não alteram seu vínculo com a Polícia Civil. “A mudança é de foro de registro civil, isso é determinado por lei. Ela já entrou com os trâmites. Para nós, ela é uma delegada constituída, uma servidora que teve na Polícia Civil uma vida de honradez, lisura, competência. A gente acredita quer não há nenhum motivo que vá mudar essa situação a partir de agora”, afirmou, assegurando que a polícia goiana vê o caso e sua repercussão com “naturalidade”. “Isso para nós não é problema. A gente entende isso como um ato de coragem. Para nós da Polícia Civil, problema é policial corrupto, truculento, omisso”, declarou.
Antes da operação, Laura de Castro, 33 anos, atuou no cargo de delegado em municípios próximos a Goiânia, Trindade e Senador Canedo. Era discreta, usava roupas masculinas. Por isso, com a divulgação do assunto em um jornal local em Goiânia, a mudança pegou muitos colegas de surpresa. Na assessoria de imprensa da Polícia Civil, a informação é de que a delegada ainda se recupera da cirurgia e está avaliando se falará publicamente sobre a mudança em sua vida pessoal.
“Há pouco mais de um ano a doutora Laura informou o chefe imediato. Ela foi absolutamente transparente”, disse o delegado, revelando como a Polícia Civil soube o processo que culminou na mudança de sexo da delegada. “A administração entendeu a sua situação, nós oferecemos o serviço de psicologia e assistência social da polícia para ela tratar desta questão com a família e com ela mesma”, afirmou, reafirmando que a instituição acompanhou tudo, informada pela própria delegada da evolução de seu tratamento. “A todo o momento a gente se manifestou em apoio a essa decisão de caráter absolutamente pessoal, de foro íntimo da servidora.”
Laura, porém, já se transformou – pelo ineditismo do seu caso – em exemplo de luta contra o preconceito. Chyntia Barcellos, vice-presidente da Comissão Especial da Diversidade Sexual do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e presidente da Comissão de Direito Homoafetivo da Seção de Goiás da OAB, vê motivos para se comemorar a novidade na Polícia Civil. “Sinto uma alegria imensa de poder presenciar esses avanços, especialmente por ser na minha cidade, Goiânia, e em um momento em que notícias e mortes homofóbicas têm se sobressaído”, disse.
A advogada lembra que a mudança de sexo não afeta a situação jurídica de Laura e, por isso, a delegada poderá continuar com o cargo na Polícia Civil. “O que muda é o comportamento da sociedade em relação ao caso. Acredito que essa história incrível servirá de exemplo para outras pessoas que têm o mesmo desejo, mas preferem não mudar de sexo por convenções sociais.”
Na internet, entidades de defesa dos direitos gays se manifestaram também. Liorcino Mendes, presidente da Articulação Brasileira de Gays (Artgay), disse que o movimento LGBT de Goiás fica feliz com a notícia e vê um avanço importante no caso da delegada Laura. “Parabéns, Goiânia tem a primeira delegada de Polícia Transexual do Brasil. Viva as mulheres transexuais”, publicou na sua página do Facebook.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...